26-11

 

* José Matias Alves

 

Há muito tempo já escrevi sobre o insustentável peso de ser. O insustentável peso de ser professor numa ordem que desconfia, menoriza, oprime. O peso da sobrerregulamentação, das rotinas asfixiantes e da inércia que nos esvazia. O peso de um mandato social claramente excessivo, claramente impossível, de uma arrogância que tudo prescreve, quase tudo ignora. O peso de uma pobreza de pensamento que se diz ao serviço da democratização, da competitividade, da meritocracia, da diferenciada igualdade de oportunidades.

 

Hoje, regresso ao tema para o dizer na sua hiperbolização. Porque as escolas são agora ambientes muito mais agressivos, muito mais exigentes; porque as identidades profissionais estão agora em ferida e em risco de se despedaçarem; porque os professores estão cada vez mais entregues a si mesmos numa solidão ontológica e antológica; porque a autoridade tem maiores dificuldades de se afirmar e de exercer num quadro geral de desvinculação organizacional e profissional (não demorará muito tempo a manifestar-se a disforia de viver e de trabalhar nos megagrupamentos, aparentemente uma solução que integra, articula e reforça a coesão).

 

Hoje, é muito mais difícil ser professor. É difícil acreditar num discurso cheio de promessas e de boas intenções. É difícil agir em contextos tão desconexos, tão centrífugos, tão enredados em múltiplas contradições. É muito mais difícil convencer os novos públicos escolares de que estudar vale a pena, que estudar compensa, que estudar é uma condição de liberdade e de sobrevivência.

 

Hoje, os professores vivem reféns de um ideal de escola que já não existe. Reféns de uma dádiva que sempre quiseram inscrever nos seus modos solidários de agir. Reféns de uma (des)ordem profissional que persiste em não ensaiar as condições de sobrevivência.

 

É por isso que, às vezes, surge a tentação de desistir. A tentação de nos abandonarmos. Mas não nos resta outra alternativa que não seja persistir na reinvenção de dias mais claros. Persistir na procura das soluções concretas, na procura das soluções possíveis. Exigir mais de nós mesmos, mas numa lógica de construção de Comunidades Profissionais de Aprendizagem que possam tecer os laços que permitam novos exercícios de respiração. E exigir mais das famílias e dos poderes públicos. Em nome das crianças e dos adolescentes que só veem negrume à sua frente. Em nome de uma profissão que se tem de redescobrir.

* José Matias Alves é investigador, doutor em Educação e professor convidado da Universidade Católica Portuguesa.



publicado por Correio da Educação às 15:00
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

9 comentários:
De Manuel Alberto Pereira a 13 de Dezembro de 2012 às 20:09
Caro amigo Matias Alves,
Obrigado por traduzir em palavras o que muitos de nós sentimos (somos)!
Abraço


De Regina Maria a 14 de Dezembro de 2012 às 02:11
Como me identifico com as suas palavras!
Tivesse este post ligação às redes sociais e já o teria partilhado.
Obrigada.


De Serafim Rodrigues a 16 de Dezembro de 2012 às 00:12
É sempre um mestre que vale a pena ler (e ouvir),


De cheap phones a 27 de Fevereiro de 2013 às 00:57
When evaluating cheap phones and cell phone plans, it is important to check out service provider contracts, as well as the equipment components ...


De online casino a 17 de Abril de 2013 às 20:21
Oi! Você tem um blog maravilhoso, especialmente este artigo!


De contoh narrative text a 27 de Abril de 2013 às 08:10
Am I doing something wrong? I made the recipe exactly as stated and put it in the fridge for over two hours. When I took it out, it was too gooey to roll and cut out. Help!!!!



De goophone x1 a 21 de Maio de 2013 às 07:54
How do you feel the trading of electronic products in 1949, you will be a rich very very good content of this site?


De lijst van casino's online a 27 de Agosto de 2013 às 16:13
Olá lá! Eu sou um tipo daquelas meninas que nunca se tornaria um médico ou um top model. É por isso que quando eu me tornei 17 y.o. Eu comecei a jogar diferentes jogos de casino online! Então, eu estou aqui para ensiná-lo a jogar qualquer um dos jogos de casino e apenas para mostrar onde os casinos on-line mais confiáveis ​​na África do Sul são gethered.


De:

Data:
1 de Novembro de 2013 às 06:26


Comentar post

CONTACTOS

ce@asa.leya.com
pesquisa
 
Correio Disciplinar
Ciências Sociais e Humanas
Línguas e Literaturas
Ciências Exatas e Experimentais
Expressões
Escola em destaque
Escola Secundária Alcaides de Faria
Agenda


arquivo
Ligações
Parceiros
subscrever feeds