10-02

 

Filho de António Ferrão, comerciante, fez a instrução primária em Seia, inscrevendo-se de seguida no famoso Colégio de S. Fiel, dos jesuítas, situado em Louriçal do Campo (Castelo Branco). Depois dos estudos liceais, matriculou-se em 1901 na Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, tendo obtido os graus de bacharel (1907), licenciado (1908) e doutor (1911). A sua vida estudantil ficou marcada pela greve académica de 1907, aparecendo Abranches Ferrão como um dos "intransigentes" (cf. Xavier, 1962).

 

A partir de 1912, instalou-se em Lisboa, dedicando-se essencialmente à advocacia. Um ano mais tarde, concorreu a uma vaga na nova Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, onde se manteve até ao fim da vida. Assumiu, por diversos períodos, a direcção desta Escola, em substituição de Afonso Costa e, entre 1926 e 1928, como "director efectivo".

Ficou conhecido como um professor afável, que "contra a escola livresca, o magister dixit, preferia o trabalho em colaboração com os discípulos, discutindo com eles os problemas de natureza jurídica e obrigando-os a tomar posições pessoais na discussão" (Moura, 1998, p. 34). Durante a República, exerceu vários cargos políticos, com destaque para o exercício como ministro da Justiça e como ministro da Instrução Pública.

Como ministro da Justiça é interessante registar algumas iniciativas de defesa da "condição da mulher", que mereceram o aplauso do Conselho Nacional das Mulheres Portuguesas. Como ministro da Instrução Pública (Julho a Novembro de 1924), intentou algumas mudanças no ensino infantil, no ensino primário superior, no ensino industrial e comercial e na formação de professores. Mas em quatro meses era impossível passar de uma mera "manifestação de intenções".

Ficaram, pois, por cumprir as principais medidas que gizou. No campo da política educativa, o seu destino foi semelhante ao das várias dezenas de ministros que assumiram a pasta da Instrução Pública durante a I República. Em 1997, a Escola dos 2.º e 3.º ciclos do ensino básico de Seia n.º 2 escolheu o Dr. Abranches Ferrão para seu patrono, realçando a sua "figura de cidadão exemplar e de democrata coerente e determinado".

Trabalhos sobre o(a) autor(a)

Maria Lúcia de Brito Moura, Ao encontro de... António de Abranches Ferrão, Seia, 1998.

 

«FERRÃO, ANTÓNIO DE ABRANCHES»,in António Nóvoa (dir.), Dicionário de Educadores Portugueses, Porto, Edições Asa, 2003, pp. 532-533, com adaptações.

 

 

 

 



publicado por Correio da Educação às 13:14
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

CONTACTOS

ce@asa.leya.com
pesquisa
 
Correio Disciplinar
Ciências Sociais e Humanas
Línguas e Literaturas
Ciências Exatas e Experimentais
Expressões
Escola em destaque
Escola Secundária Alcaides de Faria
Agenda


arquivo
Ligações
Parceiros
subscrever feeds