08-05

Várias localidades têm protestado contra a criação dos mega-agrupamentos de escolas. Tem havido contestação de autarquias, professores e pais contra os novos mega-agrupamentos, que chegam a ter perto de quatro mil alunos e escolas separadas por dezenas de quilómetros. Arouca, Almeirim ou Leiria são exemplos de zonas onde os protestos mais se têm sentido.

Segundo Mário Nogueira, da Fenprof, a criação de mega-agrupamentos de escolas coloca em risco o emprego de cerca de 20 mil professores contratados, já a partir de Setembro. "Com a conjugação dos mega-agrupamentos, da revisão curricular e do aumento para 30 alunos por turma, vai haver menos 20 a 25 mil horários nas escolas", afirmou. (CM)


tags:

publicado por Correio da Educação às 10:18
link do post | comentar | ver comentários (7) | adicionar aos favoritos

07-05

 

* Rosa Duarte


Viver em open space o fast love num zapping delirante ao som da música psicadélica e batatas fritas de palito pode anestesiar momentaneamente o incómodo da crise económica instalada, implacável para os potenciais consumidores de futuros profissionais promissores
que vão aguardando melhores dias na sua terra, mas a troco da embriaguez dos media empacotados e amizades sociais sem rede, por vezes com digestões difíceis de virtualidade continuada. Nos tempos difíceis, especialmente, os frutos obrigam-se a si mesmos a dar espaço para alguns brotarem mais suculentos. Assim, nos escombros da conhecida música que nos vão dando os grandes grupos económicos e políticos, disparam felizmente os vanguardistas sentimentos dos grupos alternativos que vão respirar uma aragem mais inventiva, porque falam das tentações sonantes e arremessos de legumes mágicos, em projetos e concertos inflamados e inflacionados do nosso tempo, com (The) Temptations, Smashing Pumpkins… Vai-se sobrevivendo com a alegria do som.

 

 

* Professora do Ensino Secundário



publicado por Correio da Educação às 15:16
link do post | comentar | ver comentários (11) | adicionar aos favoritos

03-05

As duas equipas de estudantes portugueses que participaram nas Olimpíadas da Ciência da União Europeia, na Lituânia, conquistaram uma medalha de prata cada, o melhor resultado nacional de sempre na prova, segundo a coordenadora da comitiva.
Em disputa estava um total de seis medalhas de ouro, 17 de prata e 21 de bronze, num concurso em que Portugal participou pela quarta vez e foi disputado por 40 equipas de 22 países.
Os alunos portugueses, de diferentes escolas do país, têm todos 16 anos e tiveram que solucionar uma série de problemas nas áreas de física, química e biologia ao longo dos sete dias que permaneceram em Vilnius. (Público)


tags:

publicado por Correio da Educação às 10:32
link do post | comentar | ver comentários (2) | adicionar aos favoritos

02-05

 

No dia 19 de Maio vão realizar-se por todo o mundo eventos de celebração do 5.º aniversário do ambiente gráfico de programação Scratch, com aplicação em contextos educativos e também de lazer, desenvolvido pelo Massachusetts Institute of Technology - MIT.
O Scratch Day é um acontecimento mundial, onde pessoas de todas as idades se encontram para conhecer outros Scratchers, partilhar projetos e experiências e aprender mais sobre o Scratch.

Uma das celebrações deste dia, em Portugal, vai ser concretizada num evento gratuito, aberto a todos os professores, educadores, futuros professores e suas famílias (sobretudo crianças e jovens), das 9h às 18h, na Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Setúbal. Os monitores de apoio serão crianças e jovens já com experiência de utilização do Scratch e poderão contar com eles para ajudar na iniciação a esta linguagem de programação.

Mais informações: aqui.


tags:

publicado por Correio da Educação às 15:00
link do post | comentar | ver comentários (1) | adicionar aos favoritos

 

Segundo um artigo do Wall Street Journal, ao longo da história dos Estados Unidos quase todas as gerações tiveram substancialmente mais educação do que a geração dos seus pais. No entanto, isto hoje já não é tão verdade, e se a geração de 1955 estudou mais dois anos do que os seus pais, a geração atual só estuda mais oito meses do que os seus progenitores.
Acredita-se que esta tendência está a ter impacto no mercado de trabalho dos EUA e mesmo ao nível do desenvolvimento económico. (WSJ)


tags:

publicado por Correio da Educação às 10:54
link do post | comentar | ver comentários (9) | adicionar aos favoritos

CONTACTOS

ce@asa.leya.com
pesquisa
 
Correio Disciplinar
Ciências Sociais e Humanas
Línguas e Literaturas
Ciências Exatas e Experimentais
Expressões
Escola em destaque
Escola Secundária Alcaides de Faria
Agenda


arquivo
Ligações
Parceiros
subscrever feeds